NAS ÁGUAS DE GUIMARÃES ROSA: MARCAS DE REGIONALIDADE EM “SAGARANA”

Odair Silva dos Santos

Resumo


A obra “Sagarana”, de Guimarães Rosa, torna-se singular à medida que suas as narrativas são constituídas de marcas particulares: linguagem, traços e marcas inerentes ao sertão mineiro. Fazendo abordagens a partir dos contos de “Sagarana”, o objetivo do presente texto é desenvolver algumas discussões sobre região, regionalidade, regionalismo e regional no campo da literatura, percebendo que cultura e identidade, bem como produções discursivas caracterizam, simbolicamente, uma região; reflexões possíveis a partir das contribuições de Arendt (2012), Barcia (2004), Bourdieu (1996), Certeau (1994), e Joachimsthaler (2009). No tocante aos contos, é possível qualificá-los como regionais, ao passo que transcendem aspectos como linguagem, léxico, visões de mundo, costumes e substratos míticos, constituindo traços pertencentes a uma região

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.