Pensar a diferença: A problematização do gênero a partir do romance Leite Derramado de Chico Buarque

Fabio Marchon Coube

Resumo


Resumo: Esse texto tem como objetivo elucidar algumas considerações acerca do lugar estipulado para a mulher ao longo da história da metafísica ocidental. O modelo falogocêntrico, que aprisiona e rebaixa o feminino como algo que aquém do masculino, promove a ausência da possibilidade desse polo inferiorizado de se posicionar conforme sua diferença.  A partir dessas considerações, faz-se necessário desenvolver o pensamento de Judith Butler e de Jacques Derrida para pensar o feminino para além da oposição ao masculino. A desconstrução do conceito de mulher imposto pelo falocentrismo nos revela algo que não é capaz de se deixar conceituar novamente, conforme Derrida nos demonstra em Éperons- Les styles de Nietszche. Para tanto, a análise do romance Leite Derramado torna-se uma interessante ferramenta para mostrar o desejo de conceituar a mulher ou mesmo dar um lugar para a mesma, evitando a diferença que se movimenta em deslocamento do polo hierárquico. A personagem Matilde não tem voz, nada pode interferir no monólogo produzido no leitor de morte de Eulálio. Mesmo havendo apenas a versão de Eulálio, nas brisuras de sua memória há a intervenção do desejo, uma vez que o personagem deixa escapar diversas construções contraditórias, fomentando assim uma alteridade necessária para a composição de Matilde como alguém que, mesmo se falar, não se deixa conceituar na narrativa.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.