A LOUCURA SOCIAL PRESENTE NO CONTO O VELHO E OS TRÊS MENINOS

Juliana Cristina Ferreira

Resumo


O objetivo deste artigo é a partir das leituras de Foucault, analisar a sociedade representada no conto O Velho e os três meninos, de Euclides Neto, alicerçada na concepção de marginalização e de rotulação do sujeito visto como louco. A cidade de Ipiaú, utilizada na literatura de Euclides, exprime o momento em que a crise econômica, advinda da decadência do cacau engendra a população e o desemprego acomete todos aqueles que trabalhavam na lavoura cacaueira. Nesse cenário de busca pela subsistência visamos compreender a maneira como a população, conhecida como a civilização do cacau, perscrutou novas alternativas para conseguir alimentos, perante a destituição do emprego. A metodologia ancora-se na análise bibliográfica, utilizando Foucault (2005), o qual explica que a loucura é uma maneira da classe mais favorecida justificar a exclusão do sujeito que apresenta comportamento dissemelhante às regras sociais. Como lembra Foucault (2008), a classe dominante vigia para punir o sujeito marginalizado, afim de que ninguém saia dos padrões sociais e venha cometer erros perante a sociedade.  


Palavras-chave


A loucura social. O Velho e os três meninos. Euclides Neto. Visão foucaultiana.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.