A DRAMATIZAÇÃO TRÁGICA DAS RELAÇÕES AFETIVAS EM PARA SEMPRE FIEL, DE NELSON RODRIGUES E TRAGÉDIA, DE MÁRIO DE SÁ-CARNEIRO

Danilo de Oliveira Nascimento

Resumo


O artigo desenvolve análise comparativa dos contos Para sempre fiel, de Nelson Rodrigues (1912-1980) e Tragédia, de Mário de Sá-Carneiro (1890-1916) a partir da perspectiva do trágico. Para tanto, partimos do pressuposto de que a presença de elementos do drama nas narrativas instituem a atmosfera trágica sobre o desfecho violento das relações amorosas das personagens. Ao nos fundamentarmos em Bornheim (1975), Esslin (1978), Lesky (2006), Peacock (2011), Williams (2011), Staiger (1997), entre outros estudiosos das áreas do drama, da tragédia e do trágico, desenvolvemos a hipótese de que a denominação de trágico a um evento da narrativa e a classificação de trágica a uma narrativa só é possível mediante a inserção e a manipulação de elementos do texto dramático. Nesse sentido, ao admitirmos a noção de drama enquanto ação e a ideia corrente de que no teatro a fala é ação, ressaltamos a fala das personagens como o principal aspecto instituidor da ação dramático-trágica. 


Palavras-chave


Conto;tragédia; trágico

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.