INCIDCIA DE INFECES PROVOCADAS POR Staphylococcus aureus RESISTENTE A METICILINA (MRSA) EM UM HOSPITAL DA ZONA SUL DO RIO DE JANEIRO


Resumo


Dados mostram que desde 1999 a proporção de Staphylococcus aureus resistente a meticilina (MRSA) ultrapassa 50% entre os pacientes internados em UTIs. Este estudo avaliou a incidência de infecções provocadas por Staphylococcus aureus resistente a meticilina (MRSA) em um hospital da zona sul do Rio de Janeiro, no período de março de 2012 a março de 2013. Os dados foram obtidos através da leitura de rotina de cultura de vigilância (Microbiologia) e no relatório diário enviado ao CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) do hospital no qual foram analisadas 2517 amostras de secreção nasal, das quais 2385 foram negativas para S. aureus meticilina resistente, enquanto 88 amostras foram positivas para S. aureus, porém oxacilina sensível, ou seja, cultura negativa para MRSA. Apenas 44 amostras indicaram a presença de S. aureus meticilina resistente (MRSA). O controle de cultura de vigilância hospitalar mostra-se eficaz no controle de infecções pelo MRSA.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.